Contato

67.99262-7640

Endereço

R. Enoch Vieira de Almeida, 125 - Vila Célia - Campo Grande/MS

Avicultura 4.0 – A história de sucesso dessa cadeia nas últimas décadas | Aves

* Ibiara Correia de Lima Almeida Paz e Andressa Silva Jacinto

 

No ano de 1960 iniciou-se o processo de integração vertical da produção avícola, inicialmente na região Sul do país estendendo-se gradativamente por todo território nacional. Até então o modelo de produção existente para frangos de corte era realizado de forma independente, em que o produtor adquiria todos os insumos necessários para produção no mercado, sendo responsável por todo ciclo de produção (Canever et al., 1997). As alterações que ocorreram subsequente no setor, principalmente com a inclusão de aparatos tecnológicos, desenvolvimento de programas de melhoramento genético e o conceito de nutrição de precisão, transformou a avicultura de corte no Brasil em um setor competitivo e de referência em termos de coordenação e cooperação entre os agentes econômicos que compõem a cadeia produtiva (Santos Filho et al., 2011).

 

A avicultura de corte é um setor repleto de desafios para que se obtenha os melhores índices, muitas melhorias já foram realizadas, entretanto sempre há oportunidades para avanços. Para isso podemos contar com um conjunto de soluções de base tecnológica que podem facilitar e aprimorar este sistema produtivo. O termo Avicultura 4.0 representa um a extensão da chamada Indústria 4.0, sustentada pela ideia industrial alemã, que propôs esta como sendo a Quarta Revolução Industrial, sendo alicerçada em tecnologias como a internet das coisas e objetos inteligentes, construindo sistemas com maior capacidade de autogestão e customização dos produtos melhorando os ganhos de produção em massa (Lasi et al., 2014). Como resultado da incorporação destes novos conceitos, temos a Avicultura 4.0 trazendo consigo sistemas que podem suportar uma instrumentação distribuída, monitorando e analisando dados em sistemas computacionais, incluindo conceitos de big data e inteligência artificial (Glichrits, 2016). Sendo possível o monitoramento, gerenciamento e rastreamento de todo processo a distância. A exemplo temos as salas de controle dentro dos novos aviários, onde técnicos especialistas podem acompanhar indicadores, desvios, tendências do lote e dessa forma regular o sistema de acordo com a especificidade desejada gerando redução de custos com a produção.

 

A tendência para o futuro é que a avicultura 4.0 ganhe cada vez mais espaço e, com isso, agregação de tecnologias no processo torne o Brasil como produtor de carne de frango uma potência competitiva ainda maior, além de favorecer boas práticas e condições de manejo. A incorporação de tecnologia já é uma realidade dentro da avicultura e tende somente a crescer nos próximos anos.

 

Referências

CANEVER, M. D., TALAMINI, D. J. D., CAMPOS, A. C. & SANTOS FILHO, J. I. A cadeia produtiva do frango de corte no Brasil e na Argentina. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 1997.

GILCHRIST, A. Industry 4.0: The Industrial Internet of Things, Berkeley, CA, USA: Apress, 2016.

LASI, H.; FETTKE, P.; KEMPER, H.-G.; FELD, T.; HOFFMANN, M. Industry 4.0. Business & Information Systems Engineering, Springer, v. 6, n. 4, p. 239–242, 2014.

SANTOS FILHO, J. I., MIELE, M., MARTINS, F. M., TALAMINI, D. J. D. Os 35 anos que mudaram a avicultura brasileira. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves (p. 59-87), 2011.

 

null Ibiara Correia de Lima A. Paz - Zootecnista. Doutora em Zootecnia. Professora Associada da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da UNESP, Botucatu-SP.





null Andressa Siliva Jacinto - Médica Veterinária. Mestranda em Zootecnia pela Universidade Estadual de São Paulo - UNESP, Botucatu-SP.